Phoseon está trabalhando em estreita colaboração com as partes interessadas para responder ao novo surto de coronavírus (SARS-CoV-2) através do uso apropriado de nossa tecnologia UV LED para reduzir os patógenos e inativar os vírus. Juntamente com pesquisadores e cientistas individuais, a Phoseon está focada em contribuir com nossa experiência em desinfecção e recursos para ajudar pesquisadores e hospitais a combater o Covid-19. Se alguém estiver interessado em pesquisas ou testes novos de coronavírus (SARS-CoV-2), a Phoseon oferece uma ampla gama de lâmpadas UVC LED (278nm) para inativação de vírus e pesquisa de patógenos. Entre em contato conosco para mais informações.

Os produtos Phoseon UV LED são eficazes contra o Novel Coronavirus (SARS-CoV-2)?

SIM, com uma pequena advertência. Testamos nossos sistemas UV LED contra outros vírus, e eles funcionam muito bem. Nossos sistemas têm se mostrado rápidos e eficientes. Entretanto, não fizemos nenhum teste específico sobre o SARS-CoV-2. Francamente, não estava nas notícias e não era uma preocupação há mais de alguns meses, e entrar em um laboratório para fins de testes é um desafio hoje em dia, pois eles estão focados em outras coisas. O que sabemos é que, científica e estruturalmente, em relação ao SARS-CoV-2, temos muita confiança na eficácia de nossas lâmpadas para matar o vírus. Os testes precisariam ser feitos para determinar a dosagem e a eficácia geral.  Eficácia dos Diodos emissores de luz UV para a inativação de biomoléculas e microorganismos

Que sistemas UV LED você tem disponíveis prontos para uso?

O KeyPro ™ família de produtos LED UV for disinfection is available today. Our free space lamps, the KeyPro Explorer, and the KP200 and KP300 lamps are also available and ready to use.  However, these lamps require protective measures or shielding and some require and are intended to be installed in supporting machinery.

Há alguma precaução necessária para o uso de suas lâmpadas?

Sim. A blindagem é necessária para eliminar a possibilidade de olhar a luz diretamente ou de expor-se à pele diretamente. Oficialmente: Aviso GRUPO RISK 3 UV EMITIDO DESTE PRODUTO Evite a exposição dos olhos e da pele ao produto não blindado.

ASSOCIAÇÕES DA INDÚSTRIA UV DESENCORAJAM O USO DE LUZ UV NO CORPO HUMANO PARA DESINFETAR CONTRA O CORONAVÍRUS Saiba mais

Você tem LEDs de 220nm?

Os LEDs com comprimento de onda inferior a 250 nm ainda estão em pesquisa muito precoce e têm potência na faixa de nanoWatt. Com a tecnologia atual, o menor comprimento de onda comercialmente viável é de 254 nm. Eu digo comercialmente viável porque foram feitos alguns chips de LED com menor comprimento de onda, mas estes não estão em produção em nenhuma quantidade e não são eficientes o suficiente para serem de qualquer utilidade em um sistema.

Que fonte de 220nm você tem?

Temos nosso KeyView Smart Engine fonte laser 220nm. Este dispositivo é destinado para uso em aplicações analíticas. Ele tem uma potência muito alta quando comparado a outras fontes analíticas nesta faixa de comprimento de onda, mas não tem potência suficiente para ser de qualquer utilidade na desinfecção. Sem mencionar a dificuldade de projetar um sistema para ampliar o feixe de um laser de forma eficaz.

A Phoseon pode me vender LEDs de comprimento de onda xxx nm?

Phoseon é um fornecedor de sistemas. Nós compramos e embalamos chips de LED crus em sistemas utilizáveis. Não vendemos os LEDs brutos nem vendemos LEDs montados apenas em uma placa simples ou em uma lata TO (TO significa "transistor outline" - que se refere a desenhos padronizados da JEDEC, uma organização de comércio de semicondutores). A razão é que a utilização de LEDs não é direta. Sim, a eletricidade pode ser conectada e a luz sai, mas o controle do fluxo de energia, manuseio da carga térmica, espaçamento otimizado e condicionamento da saída são tarefas de engenharia muito complexas que, se executadas incorretamente, podem levar a baixa saída, vida curta e baixo desempenho geral. A experiência da Phoseon está no projeto de engenharia de sistemas LED. Temos quase 300 patentes em torno de sistemas LED e podemos construir sistemas com o mais alto desempenho e a mais longa vida útil. Teremos prazer em discutir a construção de um sistema para suas necessidades. Basta entrar em contato conosco e nos dizer o que você está tentando fazer.

Cada LED emite apenas um único comprimento de onda?

Cada LED tem um comprimento de onda de pico associado a ele. É aqui que a intensidade é a mais alta. Em ambos os lados, a intensidade cai muito rapidamente como em uma distribuição gaussiana seguindo uma curva. Isto é diferente para cada comprimento de onda, mas é comum para muitos LEDs para a largura do pico na metade máxima (FWHM - largura total na metade máxima é um termo comum para descrever a largura do pico) pode ser próximo a 10nm, mas a intensidade mais alta é centrada no comprimento de onda do pico. Os LEDs são normalmente referidos apenas como seu comprimento de onda de pico, mas sua emissão é na verdade mais ampla.

Quais são os melhores comprimentos de onda a serem usados para desinfecção?

The peak wavelength for disinfection is actually 265nm.  For many decades mercury lamp systems have been available for disinfection utilizing one of the emission peaks of mercury, 254nm.  This wavelength is close enough to the absorption peak to be effective.  Our systems utilize 275nm LEDs.  Similar to mercury lamps, our wavelength is also off the peak absorption, but we can build very high power systems at this wavelength that makes them perform better than similar mercury lamp systems.  With either the 254nm or the 275nm wavelengths precautions need to be taken to avoid skin and eye contact…think really bad sunburn. There have been studies surrounding 220nm wavelength.  It can be used to disinfect, but it has the added benefit that it is safe for the skin and eyes.  Unfortunately, as mentioned in the previous question, 220nm LEDs are simply not available.  Our recommendation would be to use one of our 275nm high power systems and take the necessary precautions to avoid contact with the light.

Comprimentos de onda e aplicações disponíveis da Phoseon

Posso tratar uma sala com seus sistemas?

The short answer, yes, but not very well.  There are 2 important factors when designing UVC disinfection systems.  First is dosage.  Without getting too technical, you can think of dosage as light power over time.  Roughly speaking if you have a lamp with twice the output power you need half the time to treat a surface, and vice versa.  Every microorganism has a specific dosage and intensity threshold needed to disinfect.  It’s different for every one!  The challenge created with distance is that the available power of the incident light reduces by the square of the distance away from the lamp, or in other words, you lose more power the further you move away from the source.  So much so that travelling more than a few feet brings the power to a level that it is really unusable.  The second challenge is shadows.  As you can imagine, the light only works on surface that the light touches…makes sense.  So if there are items that cast shadows, then the areas in shadows are not treated at all.  Our recommendation is always to have the treated surface as close to the lamp as possible and if possible scan the lamp over the surface to avoid shadowing as much as possible.

Você pode esterilizar?

"Esterilizar" tem uma definição exigente quando se fala da ciência da desinfecção. Todos nós já vimos os vários anúncios publicitários que divulgam "esta" mistura de limpeza mata 99% de todos os germes...ou 99.9% de todas as bactérias, etc. Há uma razão pela qual os marqueteiros usam estes números. Eles estão se referindo a taxas de redução de log. Nos exemplos acima, a redução de 99% é de 2 log de redução. 99.9% é 3 de redução de log. Não é difícil de descobrir, o número de 9 dá-lhe a taxa de redução de log para o que quer que você esteja usando para desinfetar seja química, calor ou luz UVC. De volta à esterilização. A definição básica para esterilização é atingir a redução de log 6, ou 99,9999% redução no organismo (é mais complicado do que isso, mas para facilitar a resposta, vamos deixá-lo lá). Basta dizer que essa é uma marca alta. Além disso, este número é específico para o organismo que você está testando, de modo que a mesma lâmpada poderia atingir 5 log de redução para um organismo, mas talvez apenas 2 log para outro, dada a mesma dosagem. Resumindo, com tanta coisa amarrada na definição científica, evitamos usar o termo esterilização, a menos que tenhamos testado e provado especificamente este fato. Entretanto, no mundo real, as pessoas usam os termos esterilização, desinfecção, desativação, germicida de forma intercambiável. Nosso sistema desinfeta? ABSOLUTAMENTE.

Qual é a diferença entre descontaminação, desinfecção, esterilização?

Quero tratar "preencha o espaço em branco", seus sistemas vão funcionar?

Yes it will!  Refer to the question about room treating above.  Keep in mind a few things.  First is dosage.  Again, you can think of dosage as light power over time.  Every microorganism has a specific dosage and intensity threshold needed to disinfect.  Second is shadowing.  Only those surfaces in contact with the light are treated.  Our recommendation is always to have the treated surface as close to the lamp as possible and if possible scan the lamp over the surface to avoid shadowing as much as possible.  Another consideration is material compatibility. While UVC light is compatible with metals, glass and ceramic, and most polymers, there are some plastics that are damaged by it. You can contact us about compatibility or we can run some basic material compatibility testing if you send us a sample of your target material.

Que pesquisa você fez sobre a eficácia do LED UV em vírus e bactérias?

Eficácia dos Diodos emissores de luz UV para a inativação de biomoléculas e microorganismos

Este white paper defende o motivo pelo qual a tecnologia UV LED merece ser seriamente considerada pelos laboratórios de pesquisa e instalações de fabricação para inativar moléculas e microorganismos biológicos. Ele descreve os resultados das pesquisas da Phoseon relacionadas aos diferentes níveis de inativação.